texto estranho

Leia este texto abaixo e tente descobrir se tem algo de estranho nele:

Sem nenhum tropeço posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo isso permitindo mesmo o que de início, e somente de início, se pode ter com impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo, mesmo sendo como se isto fosse mero ovo de Colombo.
Desde que se tente sem se pôr inibido pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento.
Trechos difíceis se resolvem com sinónimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo desporto do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o 'E' ou sem o 'I' ou sem o 'O' e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo sem o 'P', 'R' ou 'F', o que quiser escolher, podemos, em corrente estilo, repetir um som sempre ou mesmo escrever sem verbos.
Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos. Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?
Cultivemos nosso polifónico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores.
Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.

Esse texto não tem a letra "A"

10 comentários:

Naya Rangel disse...

Belíssimo e interessante texto! Realmente a riqueza do português nos permite essas façanhas!

Abraço!

T. disse...

crem em Deus pai, a meu patrimonio lingüistico decididademente n me permitiria tamanha façanha! o.0

kilder disse...

bacana e interessante o texto! parabéns pelo blog, valeu a visita

_DeeH_ disse...

Muiito legal !!! e interessante tb viu ...
um texto deste tamanho sem a letra A .. uma vogal tão "importante" ... INCRIVEL MSM !!!

to te seguindo me siga tb !

Je disse...

Eu li o texto crendo algo de estranho, mas confesso que não havia notado a falta da letra A.

Parabéns.

Boa semana.

pisovelho.com.br disse...

Era melhor não ter revelado e deixar o pessoal se matar em achar o algo estranho. :)

Pedro S.F. disse...

Caro Fabrício, você esteve hoje em meu blog - Comissão do Rock - e em seu comentário, havia informado que não havia entrevista no post, mas acontece que você não percebeu que o mesmo possui um link incluído na imagem, que abriria a página do blog Absolute Rock, que funciona paralelamente com a Comissão do Rock. Convido você a voltar novamente e assistir a entrevista, se for de seu interesse. Se tiver gostado dessa, escreva um comentário, por favor
http://comissaodorock.blogspot.com
Obrigado pela visita.
Pedro S.F.

Angélica :) disse...

Meu Deus Oo, isso foi explêndido! xD (Eu consegui fazer uma frase sem a letra A.. uhuu ahusahu'} Muiito bom! :)

Kimura disse...

Muito bom texto, d+.
O conteudo de seu blog é bem interessante, meus parabéns e me desculpe pela invasão.

Te convido a conhecer o conteudo de meu blog, espero que goste também.
Abraços!

Kimura.
http://kimuratorredevidro.blogspot.com/

Yuri disse...

muito massa o texto, gostei cara, vc escreve bem! já to seguindo

dah uma olhada no meu blog, ve se vc gosta:

http://lapsotilt.blogspot.com/

abraços